Blog

0 1114

img_2049

O auditório da câmara de vereadores de Sertânia ficou pequeno na noite da última sexta-feira. A sessão de diplomação dos eleitos contou com a presença maciça de correligionários, amigos, familiares e eleitores dos vencedores da última disputa municipal.

O público presente não segurou os gritos de alegria e emoção no momento da entrega do diploma ao prefeito eleito Ângelo Ferreira e ao seu vice Toinho Almeida. Pela terceira vez, Ângelo foi diplomado prefeito do município, um fato político e histórico, pois só ele e seu pai Arlindo Ferreira conseguiram democraticamente ser reconduzidos mais de uma vez ao governo do município. Dois líderes de gerações diferentes, que se entrelaçam na história como os maiores e mais queridos dos prefeitos do município até o momento, referências incontestes da política local

img_2044

E sobre essas referências, além de professor Arlindo Ferreira, Ângelo fez uma breve lembrança da influência e aprendizado que teve com Miguel Arraes, Eduardo Campos e Paulo câmara. Que continua a aprender com as lições do povo e da política. Sendo ele, um histórico militante do partido socialista brasileiro, com quem tem um enorme leque de lutas e vitórias.

O Juiz presidente da sessão, Dr. Drauternani Pantaleão destacou a grandeza do povo de Sertânia ao protagonizar uma eleição calma, ordeira e transparente, encerrando os trabalhos eleitorais naquele ato de diplomação sem nenhuma ressalva a fazer, ou seja, nada que pudesse comprometer o processo e resultado eleitoral foi identificado pelo excelentíssimo juiz eleitoral. Disse ele, que Sertânia é uma comarca fácil de trabalhar em período eleitoral, se comparado a outros municípios, dada as peculiaridades da nossa gente.

img_2041

img_2043

0 64

zvcmybmuO presidente Michel Temer reuniu-se com o ministro interino do Planejamento, Dyogo Oliveira, e com o secretário da Previdência, Marcelo Caetano, na tarde desta sexta-feira, 2, para tentar fechar os últimos pontos da proposta de reforma da Previdência. A intenção do governo é enviar o texto na semana que vem para o Congresso.

Na segunda-feira, Temer cancelou a participação que faria em um evento da Fiesp, em São Paulo, e deve de novo concentrar-se no tema. Está prevista uma reunião com representantes das centrais sindicais e também com líderes da base.

Conforme mostrou o jornal “O Estado de S. Paulo” hoje, a aposentadoria dos políticos é o ponto ainda em aberto no texto final da reforma da Previdência. A proposta elaborada pela equipe técnica inclui os parlamentares entre os que vão ter de seguir as regras mais rígidas para se aposentar, como idade mínima e tempo de contribuição mais longo. No entanto, o presidente Michel Temer ainda não bateu o martelo se vale a pena manter essa proposta e comprar o desgaste político com o Congresso.

Sem fritura

Também na tarde desta sexta-feira, o presidente reuniu-se com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, para ser informado do andamento das negociações com governadores. O presidente definiu ainda, como uma forma de sinalização ao mercado para blindar a equipe econômica, que vai efetivar Dyogo no Planejamento. Diante de críticas à dificuldade de a equipe econômica conseguir colocar em prática as medidas de recuperação da economia cresceu a especulação de uma possível “fritura” de Meirelles.

A data do anúncio de Dyogo como efetivo, entretanto, ainda não está confirmada. A oficialização pode acontecer por meio de nota por informação via porta-voz ou apenas com a publicação de ato no Diário Oficial da União.

Do Diário de Pernambuco.

0 169

Equipe da Sertânia FM no último aniversário

Equipe da Sertânia FM no último aniversário

A Rádio Sertânia FM completa 17 anos no ar com uma ação solidária que ajudará famílias e entidades carentes da cidade, além da festa tradicional, que este ano contará com o apoio, realização e produção do Grupo Multi Show Eventos, do empresário sertaniense Leonardo Pneus.

A festa acontecerá na praça de eventos Olavo Siqueira, na próxima quarta-feira (07/12), a partir das 22 horas, com as bandas Farra do Imperador, Erik Lima, Buteco das Z’Amigas e Forró Estigado.

“A festa da rádio é um evento que já faz parte do calendário festivo da cidade e tornou-se uma data tradicional e esperada por toda região” destacou Leonardo.

Segundo o diretor geral da Rede Brasil de Comunicações, Gennedy Patriota,  o aniversário da Rádio é muito importante para celebrar a sua evolução. “Realizar um evento de sucesso e ainda poder ajudar famílias carentes e entidades filantrópicas da região é um privilégio e uma máxima que a emissora sempre presou: utilizar a comunicação como forma de transformar vidas, prestar serviços relevantes à sociedade e à população, não só de Sertânia, mas de toda a região”. Afirmou.

A entrada para o evento será 1 quilo de alimento não perecível, que será destinado para entidades e famílias carentes da cidade. A festa contará com a presença de amigos e autoridades da região, que prestigiarão mais um ano de sucesso da emissora. No mesmo dia do evento, será realizada uma missa campal, no pátio da Matriz da Imaculada Conceição, em ação de graças a partir das 19 horas.

0 941

comicio-01

Nesta sexta-feira (02), o juiz eleitoral em exercício cumulativo na comarca de Sertânia, Dr. Drauternani Pantaleão, juntamente com o promotor de justiça Dr. Júlio César Elihimas diplomarão os eleitos no último pleito municipal. A cerimônia pública ocorrerá as 19 horas na câmara de vereadores. Além do prefeito e vice-prefeito, também serão diplomados os 13 vereadores e seus respectivos suplentes.

Confira:

PREFEITO: Ângelo Rafael Ferreira dos Santos

VICE-PREFEITO: Antônio Monteiro de Almeida.

VEREADORES ELEITOS:

Magaly Romão de Andrade (PR)

Rita Rodrigues Rafael de Melo (PEN)

José de Vasconcelos Silva (PMDB)

Dorgival Rodrigues dos Santos (PSD)

Antônio Henrique Ferreira dos Santos (PSB)

José Etelvino Lins de Albuquerque Júnior. (PSDB)

José Damião da Silva (PC do B)

Washington Passos Silva (PSB)

Cicero Edvandro de Melo (PC do B)

Orestes Neves de Albuquerque (PT)

Severino Veras (PTB)

Cândido José de Siqueira Rocha (PRP)

José Ivan de Lima (PDT)

SUPLENTES: PDT-PRTB-PP-SD-PROS-PPS-PRP-PSL

Geraldo Rodrigues dos Santos

Sandro José Rufino de Sousa

José Monteiro de Almeida Filho

SUPLENTES: PTN-PT-PTB-PR

 

José Francisco Amaral

Luís Abel de Albuquerque Arruda

Erisnaldo Dantas de Oliveira

 

SUPLENTES: PV-PRB-PEN-DEM-PHS-PMB-PMDB-PT do B-PSB

Edmundo José Alves

Antônio Tadeu de Queiroz Veras

Elpídio Muniz de Sousa

SUPLENTES: PSDB-PSC-PC do B-PTC-PSD

Lúcia de Fátima Brito Leal

José Urbano Aleixo Araújo

Galba Pereira de Siqueira.

0 66

Aché é uma empresa 100% brasileira. Tem fábricas em Guarulhos, São Paulo e Anápolis (GO) / Foto: Divulgação

Aché é uma empresa 100% brasileira. Tem fábricas em Guarulhos, São Paulo e Anápolis (GO)

O grupo farmacêutico Aché irá investir em operações industriais em Pernambuco. O protocolo de intenções com o Governo do Estado será assinado nesta sexta-feira. A empresa pretende investir cerca de R$ 600 milhões numa primeira etapa, que prevê instalação de operações industriais e de distribuição no Estado.

Depois, o empreendimento pode chegar a R$ 1 bilhão. O anúncio, que acontecerá durante solenidade no Palácio do Campo das Princesas, deve ser muito capitalizado politicamente, uma vez que dificilmente um Estado atrai investimento deste porte em momentos de crise.

A Aché é uma empresa 100% brasileira. Tem fábricas em Guarulhos, São Paulo e Anápolis (GO). Em 2015 a empresa apresentou receita líquida total de R$ 2,3 bilhões, superando a de 2014 em 9,3%.

Atualmente, o portfólio da Aché abrange mais de 23 especialidades médicas: são mais de 316 marcas, em 762 apresentações. Até 2020, a companhia lançará mais 184 produtos, sendo 120 nos próximos três anos.

MERCADO

A implantação do empreendimento é importante para Pernambuco, que tenta viabilizar um polo farmacoquímico em Goiana. O município conta com a Hemobrás, que deveria ser a âncora do polo. Mas a estatal sofre com denúncias de corrupção e ainda não conseguiu operar plenamente.

Do JC Online.

0 62

renan-calheiros1Presidente do Senado é acusado de destinar parte da verba para despesas de gabinete para uma locadora de veículos, que não teria prestado serviço, segundo a PGR.

Do G1

A maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) votou nesta quinta-feira (1º) em favor da abertura de uma ação penal contra o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), pelo crime de peculato (desvio de dinheiro público).

Até a última atualização desta reportagem, 6 dos 11 ministros da Corte já haviam votado para aceitar a denúncia. Caso nenhum deles mude o voto até o final do julgamento, o senador se tornará réu.

A decisão não significa que o senador seja culpado, conclusão que só poderá ser feita ao final do processo, após coleta de novas provas, depoimento de testemunhas e manifestações da defesa.

O peemedebista é acusado de destinar parte da verba indenizatória do Senado (destinada a despesas de gabinete) para uma locadora de veículos que, segundo a PGR, não prestou os serviços. No total, o senador pagou R$ 44,8 mil à Costa Dourada Veículos, de Maceió, entre janeiro e julho de 2005. Em agosto daquele ano, a empresa emprestou R$ 178,1 mil ao senador.

0 235
image_1
Foto Ilustrativa.

Alunos da UEPB/Monteiro no dia de ontem (30), mais uma vez perderam aulas por falta de transporte. Desde o início da semana os universitários ficam na incerteza, por vezes ficam no ponto esperando e o ônibus não aparece.

A bagunça no transporte escolar é geral, alunos de diversas localidades rurais vem perdendo aulas constantemente, enquanto aqueles que integram o governo Guga Lins fazem de conta que tudo estar a mil maravilhas, ratificado nas fábulas midiáticas de governo eficiente.

Faltam 30 dias para libertação do povo sertaniense, a população que derrotou nas urnas o pior prefeito da história política de nossa cidade, aguarda o novo tempo que está por vir.

0 80
Foto: Alexandre Severo/Acervo JC Imagem.

O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) recomendou o prefeito de Salgueiro, no Sertão, Marcones Libório de Sá (PSB), que se abstenha de promover a rescisão antecipada dos contratos temporários dos servidores que estão atuando em áreas essenciais como saúde, educação, serviços urbanos e coleta de lixo, resguardando a continuidade do serviço público e mantendo, assim, a prestação dos serviços indispensáveis ao atendimento das necessidades inadiáveis da comunidade.

O socialista também deve tornar sem efeito as demissões realizadas durante o período que vai dos três meses que antecedem a eleição até a posse dos eleitos, com a consequente reintegração dos servidores aos quadros da administração, a fim de que eles permaneçam no serviço público até o término dos contratos celebrados.

De acordo com a promotora de Justiça Ângela Márcia Freitas da Cruz, chegou ao conhecimento da 1ª Promotoria de Justiça da Comarca de Salgueiro a notícia de que o governo do atual prefeito, após o transcurso das eleições municipais, vem promovendo a rescisão unilateral dos contratos de prestação de serviços por excepcional interesse público em diversas áreas celebrados pela administração, sob o pretexto de se adotarem medidas administrativas como forma de assegurar o integral e efetivo cumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal.

No entanto, a demissão em massa de servidores em regime de contratação temporária pode acarretar no comprometimento de serviços públicos essenciais, além de ser proibida durante o período em que foi realizada pelo prefeito, conforme a Lei das Eleições (Lei Federal nº9.504/97), em seu artigo 73, inciso V.

“A contratação e demissão de servidores temporários constitui, em regra, ato lícito permitido ao administrador público, mas a lei eleitoral o torna proibido nos três meses que antecedem a eleição até a posse dos eleitos, a fim de evitar qualquer tentativa de manipulação de eleitores”, argumentou a promotora de Justiça.

Marcones Libório de Sá tem um prazo de dez dias para informar as providências adotadas para o cumprimento da recomendação.

Do Blog de Jamildo.

0 183

Prefeito de Ribeirão, Romeu Jacobina Figueiredo, preso durante a Operação Terra Arrasada II / Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem

 

Na manhã desta quinta-feira (1), a Polícia Civil de Pernambuco (PCPE) desencadeia a Operação Terra Arrasada II. A operação, realizada em apoio ao Ministério Público de Pernambuco, tem o objetivo de cumprir mandados de prisão contra suspeitos de envolvimento em crimes de responsabilidade, uso de documento falso, lavagem de dinheiro e crime organizado com atuação na Prefeitura de Ribeirão, na Zona da Mata Sul do Estado. O prefeito da cidade, Romeu Jacobina Figueiredo, foi preso na investigação.

De acordo com informações da Polícia Civil, o prefeito de Ribeirão é suspeito de participar de um esquema de fraude no sistema de coleta de lixo da cidade. Uma empresa fantasma teria sido contratada pela prefeitura em um esquema de licitações superfaturadas, que depois subcontratava caçambas para realizar a coleta de lixo da cidade com um preço inferior ao original.

Foram expedidos, pelo Tribunal de Justiça de Pernambuco, cerca de sete mandados de prisão preventiva e onze mandados de busca e apreensão domiciliar. Além do prefeito do município, dois secretários municipais, já afastados por decisão judicial, também foram presos. Todos os mandados foram cumpridos. A polícia também apreendeu seis armas de fogo, encontradas nas residências do empresário acusado de criar a empresa fantasma.

Cerca de 85 policiais civis, entre delegados, agentes e escrivães, estão na execução dos trabalhos operacionais, que está sendo supervisionada pela Chefia da Polícia Civil, contando com o suporte da Diretoria de Inteligência (Dintel) e Coordenação de Planejamento Operacional (CPO) da PCPE. As investigações foram realizadas pelo MPPE, com suporte do GAECO (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado).

Os detidos pela operação, juntamente com os materiais apreendidos, serão encaminhados ao Departamento de Repressão aos Crimes Patrimoniais (DEPATRI).

0 42

Indignados com a insistência, vários senadores acusaram Renan de agir com abuso de autoridade / Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil

Indignados com a insistência, vários senadores acusaram Renan de agir com abuso de autoridade.

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), colocou em votação no plenário do Senado um requerimento de urgência urgentíssima para a votação ainda nesta quarta (30) do projeto de lei que trata das medidas de combate à corrupção. Apesar dos protestos de grande parte do plenário, o presidente insistiu em colocar a matéria em votação, mas o requerimento foi rejeitado por 44 votos contrários e 14 favoráveis.

As medidas de combate à corrupção foram aprovadas esta madrugada na Câmara dos Deputados, há menos de 24 horas. O texto nem mesmo constava no sistema do Senado quando o presidente anunciou a intenção de colocá-lo em votação ainda hoje, com quebra de interstícios, ou seja, do intervalo entre as votações. O requerimento tinha sido apresentado por PMDB, PTC e PSD. Apesar da previsão de que dois senadores pudessem a falar em favor do pedido de urgência, nenhum parlamentar dos três partidos quis usar a palavra.

Indignados com a insistência, vários senadores acusaram o presidente de agir com abuso de autoridade. O senador Cristovam Buarque (PPS-DF) dirigiu-se ao plenário para pedir que os colegas não aprovassem o requerimento de urgência.

“Eu estou falando com meus pares. Com o senhor eu não argumento porque não adianta, o senhor está usando um abuso de autoridade no momento em que tenta pautar uma lei sobre abuso de autoridade”, disse o senador.

Pacote polêmico

A proposta anticorrupção surgiu a partir de uma campanha feita pelo Ministério Público Federal intitulada Dez Medidas Contra a Corrupção. Na votação da Câmara, no entanto, foram retiradas seis das dez medidas sugeridas pelo MPF. A principal mudança feita pelos deputados ocorreu por meio de emenda do deputado Weverton Rocha (PDT-MA), aprovada por 313 votos a 132 e 5 abstenções. Ela prevê casos de responsabilização de juízes e de membros do Ministério Público por crimes de abuso de autoridade. Entre os motivos listados está a atuação com motivação político-partidária.

Diante das alterações, procuradores da Operação Lava Jato ameaçaram deixar a força-tarefa caso as medidas do novo pacote entrassem em vigor. O procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, também fez duras críticas ao texto. Segundo ele, as alterações colocaram o país “em marcha a ré no combate à corrupção”. De acordo com o procurador, “as 10 Medidas contra a Corrupção não existem mais”.

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, também divulgou uma nota em que lamentou a aprovação do projeto que torna crime o abuso de autoridade para juízes e procuradores.

Informações: JC Online e Agência Brasil.